X
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER
X
Seja nosso Cliente VIP!
ORGULHOSAMENTE PORTUGUESA

Junte-se a nós hoje para ter acesso exclusivo e antecipado a lançamento de novos produtos, informação de como os utilizar e harmonizar, receitas de CHEF’s e ofertas exclusivas através da nossa Newsletter.

Descobre tudo sobre o mel | meia.dúzia®

Deus dos deuses. O mel é o ouro da natureza. Somos uma geração de adoradores do mel - mas não se trata apenas de satisfazer o nosso desejo por doces. Bem conhecido como um adoçante natural e um delicioso creme para torradas, o mel também possui uma ampla gama de propriedades curativas únicas e incrivelmente poderosas, rico em antioxidantes, tem propriedades antibacterianas e antifúngicas e atua como um pré-biótico.

Mel de Portugal

1 - História do mel e como este era usado

O uso do mel assim como o início da sua utilização perde-se no tempo, contudo são notórios os retratos da predileção por este alimento já em imagens e pinturas rupestres.

Também não é conhecida a origem da exploração de mel, mas os indícios mais antigos remetem entre 8 mil e 2 mil anos antes de Cristo. Estes recaem sobretudo em Africa e China, onde foram encontradas as primeiras evidências de recolha de mel e cera, em fragmentos de vasilhas de terracota (Nigéria) a 1500 a.C. De uma forma muito elementar, as vasilhas eram colocadas em volta das árvores, nos seus ramos, na expectativa de que as abelhas fizessem lá sua morada.

O mel era de suma importância, não somente importante pelo seu sabor doce para confeção de alimentos e bebidas, (e eram escaços os alimentos doces nestas épocas), mas também unguento medicinal e como preservador de alimentos devido à sua qualidade antisséptica. E são alguns os exemplos que chegam até nós, como no Quénia era usado como auxiliar na preservação das carnes de caças fumadas, a aplicação deste fantástico ingrediente conferia uma melhor preservação aumentando a longevidade do armazenamento em alguns anos.

Mas talvez o mais extenso e importante relato da aplicação e uso do mel vem do Egito, onde foram encontrados vasos de mel com aproximadamente 3.000 anos em sarcófagos. O mel era de extrema importância para este povo que acreditava na vida apos a morte. Levavam para o seu leito os bens mais preciosos, julgando serem uteis na sua passagem e nova vida. A sua forma de expressão cuniforme ajuda-nos a compreender a suma importância deste ingrediente na época ao representar a apicultura antiga em sarcófagos.

Contudo, o mel não era somente um tesouro e alimento que deveria ser levado para o outro mundo, a sua utilização era ampla. Desde presente os deuses, ingrediente adoçante de alimentos e bebidas, remedio e unguento para tratamento de doenças e feridas, e um dos ingredientes de embalsamamento, como referem os papiros medicinais de então.

Já nos Impérios Romano e Grego a utilização do mel era comum, presente desde sempre nas ofertas aos deuses. Onde na Ilíada é descrito como morada dos deuses, já que néctar significava a vitória sobre a morte. Sendo que por alusão a bebida de mel um presente vindo da terra dos Deus coletada pelos seus mensageiros, as abelhas. Usado como elemento medicinal, e pela primeira vez estudado para esse fim. Usado também como tratamento de beleza e conhecido dopping para atletas, mas largamente utilizado no preparo de bebidas, como o hidromel e à época o melikraton a mais comum. Bebida elaborada a partir de mel água e algumas ervas, que era oferecida pela esposa após um longo dia de trabalho, para que este restabelecesse as suas forças.

Paralelamente, mas com o mesmo fim, o povo celta recomendava que os recém-casados deveriam consumir hidromel no primeiro ciclo lunar para que fossem agraciados com um filho varão. O termo lua-de-mel surge aqui.

Mais tarde, na idade média, os relatos que chegam até nós, vem dos diários de bordo dos navegadores Portugueses e o curioso uso por parte do povo africano como elemento base presente na fermentação de bebidas alcoólicas como vinho e cerveja e elaboração de vinho feito a partir de mel. O mel era igualmente usado em todo o tipo de pratos doces e salgados, e com a proliferação das especiarias vindas do oriente os pratos são nestes tempos uma autêntica explosão de sabor.

Com o renascimento em Itália, surge o reconhecimento do sabor autêntico dos alimentos no seu estado fresco, e a dosagem mão assertiva de temperos e sabores. Mas é apenas com o reinado de Luís XIV em França, que podemos dizer que nasce o conceito de culinária e a segmentação dos pratos, nascendo todo um novo mundo de sobremesas, uma vez que este rei era um enamorado por sabores doces. O mel deixa de ocupar lugar de ingrediente de preservação e fermentação e passa a ser usado como elemento integrante de sobremesas e molhos.

2 - Como é produzido o mel 

como é produzido o mel

O mel é o único alimento produzido por um inseto e consumido pelo Homem. É extremamente completo, contendo todas as substâncias necessárias à sustentabilidade do ser humano, incluindo enzimas, vitaminas, minerais e numa reduzida quantidade de água. É o único alimento que contem o componente “pinocembrin”, um antioxidante que melhora o funcionamento do cérebro.

Curiosamente, uma abelha melífera, na sua vida toda, produz o equivalente a 1/ 12 de uma colher de chá de mel.

Tem 80-95% de açúcares e 20% água. Geralmente encontrado em estado líquido viscoso e açucarado, é produzido pelas abelhas melíferas a partir do néctar recolhido das flores e processado pelas enzimas digestivas desses insetos, sendo armazenado em favos nas suas colmeias para servir-lhes de alimento durante o Inverno.

O mel é um açúcar, e os açúcares são higroscópicos. Isso significa que eles têm pouca água, mas podem absorver a humidade se expostos.

Para produzir um quilo de mel, as abelhas “visitam” cerca de cinco milhões de flores. Consoante a época do ano e a região, diferentes espécies são visitadas.

3 - As propriedades do mel

O mel é popularmente conhecido como antibiótico natural, conseguindo inibir 60 tipos de bactérias. É usado desde a antiguidade como medicamento para o tratamento de doenças e como cicatrizante. É rico em antioxidantes, tem propriedades antibacterianas e antifúngicas e atua como um pré-biótico, ajudando a alimentar as bactérias benéficas em seu sistema digestivo para manter seu intestino saudável. Estas características devem-se as suas particulares físicas e químicas. O principal agente antibacteriano no mel é o peróxido de hidrogénio, o qual é produzido enzimaticamente pelas abelhas ao transformar o néctar em glucose oxidase. Quanto maior o nível de glucose oxidase, maior a quantidade de peróxido de hidrogénio, (água oxigenada) que lhe concede propriedades antissépticas.

O mel é um produto vegan?

O mel é um produto de origem animal, portanto não é estritamente vegano. A saúde e o bem-estar das abelhas podem ser prejudicados na produção de mel.

4 – Variedades e tipos de mel e mais conhecidos no mundo – O melhor mel do mundo

Existem vários tipos de mel e de coloração, as abelhas que se alimentam de plantas específicas fazem mel com sabores distintos, daí as grandes variedades disponíveis, sendo que variam de acordo com os mantos de flores da sua região, do tipo de terreno e do modo de preparação. O seu sabor pode ir desde o doce ao amargo, e, dependendo da origem da planta, podemos experienciar diferentes aromas. Os méis mais claros são os que tem um aroma e sabores mais suaves, no entanto, os mais escuros possuem uma maior concentração de proteínas e sais minerais.

Para realmente experimentar esses diferentes sabores, precisará procurar mel cru ou não pasteurizado. Uma vez aquecido pela pasteurização, muitas das diferenças de sabor entre os tipos de mel são perdidas e o produto torna-se simplesmente doce. A maioria das compras de mel através de apicultores e mercados de produtores locais são méis crus. Podemos também encontrar mel cru em lojas especializadas e lojas de alimentos naturais.

  • O mel de acácia é muito doce, com um sabor clássico, puro e limpo de mel;
  • O mel de amora é profundo e rico, ao mesmo tempo que é frutado;
  • O mel de mirtilo tem um leve travo e um sabor frutado;
  • O trigo sarraceno é saboroso na torrada. Seu sabor forte e picante o torna perfeito para marinadas;
  • O mel do café tende a ser bastante escuro, com um sabor rico e profundo que combina com sua cor;
  • O mel de eucalipto tem apenas um toque de sabor mentol, o que o torna perfeito para ser misturado ao chá;
  • O mel de tília é bastante delicado e tem um aroma fresco e amadeirado que combina perfeitamente com o chá;
  • O mel de nozes de macadâmia tem um sabor doce e de nozes distinto com um adorável perfume floral;
  • A flor de laranjeira é suave e tem um aroma cítrico e um aroma floral;
  • O mel de flores silvestres é leve e frutado, mas com um sabor rico ao mesmo tempo. As flores silvestres específicas das quais as abelhas obtiveram o néctar para fazer este mel tornarão o sabor mais delicado ou intenso.

5 - O mel português, as espécies que estão na sua origem mel Português

A riqueza e diversidade da flora melífera de Portugal que provém de espécies silvestres como a urze ou a esteva, e de plantas cultivadas, como o castanheiro e o eucalipto dão origem a diferentes sabores e, consequentemente, vários méis. A seleção distribuição ao longo do território nacional e quantidades desta flora dá origem ao que podemos considerar dois grupos ou tipos de mel: mel multifloral e mel monofloral.

O Mel multifloral é mel obtido a partir do néctar de várias espécies, no qual não se realçam características predominantes de uma determinada planta, enquanto que o mel é monofloral quando o pólen proveniente uma espécie atinge cerca de 45% da totalidade do pólen existente, exceto o mel de rosmaninho e castanheiro, quando as percentagens de pólen dos respetivos tipos polínicos são superiores a 10 e 70 %, respetivamente.

Em Portugal, os méis monoflorais mais representativos são o mel de rosmaninho (Lavandulastoechas), Mel de Urze (Erica umbellata) e o Mel de Castanheiro (Castanea sativa) este mais predominante em zonas de montanha.

Dependendo da região e suas espécies, surgem também méis monoflorais particulares de micro produção, ou produção controlada como nos Açores a variedade de Mel de incenso, produzido a partir do néctar de uma espécie de Pittosporum ondulatum Hort, uma planta natural que cresce em todo o território. Ou no Algarve e Alentejo, o mel de alfarroba (Ceratonia síliqua).

6 - O mel português, quais são os méis com Denominação de Origem Protegida – DOP

tipos de mel de portugal

Encontram-se registados em Portugal 9 méis cujas denominações se estão registadas como DOP, são estes de acordo com fonte da DGADR:

  1. O Mel da Serra da Lousã DOP (colhido de março a agosto) É um mel de coloração âmbar, por vezes muito escuro e muito viscoso. Tem um excelente sabor, com notas de floresta, húmus e urze. As abelhas alimentam-se do néctar da flora natural circundante, particularmente a urze selvagem e de castanheiro
  2. O Mel da Terra Quente DOP, (colhido de julho a setembro) no Nordeste de Portugal. O néctar é recolhido da flora mediterrânea, típico desta região montanhosa onde a urze, o eucalipto, a alfazema, a giesta e, especialmente, o rosmaninho dominam a vegetação natural. As predominâncias das notas florais de alecrim fazem deste mel com sabor impar.
  3. Mel do Parque de Montesinho DOP (colhido de julho a agosto) resulta das condições particulares do Parque Natural, onde não é permitida qualquer agricultura que interfira com a flora natural e autóctone, por isso nota-se a predominância do castanheiro, urze, carqueja, rosmaninho dando origem a um mel escuro, de cheiro forte.
  4. Mel das Terras Altas do Minho DOP (colhido de julho a setembro) Este mel tem uma cor acentuadamente escura, é particularmente rico em alguns sais minerais. Tem tendência natural para cristalizar o que é garantia da sua pureza e qualidade, pelo que só poderá ser comercializado no estado fluído (pastoso) ou sólido (cristalizado). É um mel de néctar de flores, em que se encontra maioritariamente pólen das Ericáceas (urzes) também conhecida na região como "queiró.
  5. Mel do Barroso DOP (colhido de julho a Setembro) com um teor de humidade inferior a 18% este mel é de cor escura e tem um sabor e aroma que refletem a flora regional, onde a urze também predomina.
  6. Mel do Ribatejo Norte DOP (colhido de Julho a Setembro) apresenta-se em quatro variedades dependendo da maior percentagem do tipo de pólen que contém: Serra d'Aire (alecrim, lavanda e menta); Albufeira de Castelo de Bode (urze, murta e castanha); Bairro (cardo, rubus, echium e trifolium); Alto Nabão (eucalipto). A cor também varia nas quatro variedades, mas é predominantemente amarelo pálido.
  7. O Mel do Alentejo DOP caracteriza-se por ter uma cor clara, cuja tonalidade é caraterística da região e decorrente da respetiva composição polínica, isto é, da flora que serve de pasto às abelhas. Assim a predominância de Rosmaninho, Esteva, Medronheiro, Madressilva, Cardo-asníl, Soagem e toda uma flora coexistente com o montado de Sobro e Azinho característica da região mediterrânica. Assim como as plantações de Girassol, Eucalipto e Laranjeira.
  8. Mel da Serra de Monchique DOP (colhido de maio a Julho) é um mel de néctar, multi-floral, de sabor suave devido, em grande parte, à presença de árvores de fruto como laranjeira e ameixoeira. Existe também na região uma extensa área de medronhal, o que proporciona um mel de sabor “amargo”, muito típico, o qual poderá futuramente vir a merecer alguma diferenciação ao nível da denominação de venda como “Mel de Medronho”.
  9. O Mel dos Açores DOP, na variedade Multiflora, é um mel do néctar das flores silvestres e das flores das árvores que crescem nesta área, incluindo ameixa, castanha, laranja, eucalipto e alecrim, bem como espécies subtropicais como banana, maracujá, abacaxi, abacate e goiaba. O Mel dos Açores DOP inclui ainda uma outra variedade, o Mel de Incenso, produzido a partir do néctar de uma espécie de Pittosporum ondulatum Hort, uma planta natural que cresce em todo o território dos Açores

7 - Benefícios do mel para a Saúde

Aqui estão alguns dos benefícios naturais do mel para a saúde:

  • As propriedades anti-inflamatórias podem aliviar a tosse e acredita-se que aliviem as alergias.
  • Os antioxidantes podem ajudar a prevenir danos celulares no cérebro e aumentar a memória.
  • O mel pode aumentar a insulina, liberando serotonina (faz você se sentir bem), que é então convertida em melatonina (melhorando a qualidade do sono).
  • Propriedades antibacterianas e antifúngicas podem tratar eczema, caspa e outras doenças de pele causadas por pele seca.
  • Como um antibiótico natural que pode agir tanto interna quanto externamente, o mel pode tratar feridas e queimaduras

O mel é bom para a sua saúde e por isso iremos sublinhar 10 benefícios que ocorrem com a ingestão de mel.

  1. Bom para a sua pele - O mel puro de abelha contém substâncias cicatrizantes e antibacterianas que impedem a proliferação de microrganismos na pele, além de auxiliar no tratamento de lesões características da acne para estes casos, o recomendável é que aplique o mel diretamente na região afetada.
  2. Bom para o seu sangue - O mel melhora o funcionamento dos órgãos e tecidos essenciais, a composição do mel inclui o elemento Crômio que contribui para normalizar a atividade das hormonas, que estabiliza o nível do açúcar no sangue, e melhora a formação do tecido adiposo, o Crômio elimina as gorduras, e equilibrando os níveis de açúcar.
  3. Bom para a sua mente - Uma das principais funções do mel é a contribuição na absorção e fixação do cálcio no corpo. Os neurônios utilizam o cálcio para originar o sinal elétrico, e o mel ajuda a absorver e fixar o cálcio no corpo sendo esta dependente da presença deste elemento químico (cálcio) no organismo. Quando se consome mel regularmente, os neurônios atuam de forma apropriada frente à utilização deste elemento, de forma a melhorar a função cerebral.
  4. Bom para a sua garganta - O mel tem um poder antibiótico e antisséptico, muito eficaz para combater constipações, problemas alérgicos e dor de garganta. O potencial anti-inflamatório do mel é capaz de não só inibir inflamações, mas também reconstruir novos tecidos na região da garganta.
  5. Bom para a cicatrização de feridas - Assim como o tratamento para a acne, o mel possui propriedades cicatrizantes e antissépticas, o que o torna indicado para impedir que feridas curem mais rapidamente e não sofram processos infeciosos. As aftas na boca também podem ser tratadas com este doce alimento. Verificando-se bons resultados no tratamento de abcessos, queimaduras, enxertos, feridas infetadas.
  6. Bom para a sua paz - O mel natural produz glicogênio no fígado, que é a reserva de energia utilizada pelo cérebro para seu normal funcionamento. As reservas de glicogênio do fígado evitam a libertação de hormonas associados ao stress, portanto o consumo diário de mel é muito benéfico para o bem-estar e para saúde.
  7. Bom para a sua noite de sono - É indicado tomar 2 colheres de chá de mel na hora de dormir. O mel estimula o relaxamento noturno e o sono, por suas propriedades calmantes. O mel contém um nutriente chamado triptofano, uma hormona que relaxa e ajuda a adormecer. Além disso, como mencionado o mel contém glicogénio, que também ajuda a garantir uma noite de sono mais tranquila e descansada.
  8. Bom para a sua imunidade - O mel tem propriedades antissépticas e antibióticas e, além do mais, também conta com fito nutrientes e é antibacteriano. Estes componentes fazem do mel uma grande alternativa para fortalecer o sistema imunológico. Ele não somente se encarrega de eliminar micro-organismos de diversas áreas, mas também evita sua aglomeração nas fossas nasais e poros, que são as principais entradas das bactérias. A ação antibacteriana do mel afeta também algumas bactérias que são causadores de certas doenças e infeções urinarias que segundo alguns estudos são apontadas como sensíveis a esta ação antibacteriana.
  9. Bom para o seu metabolismo - O mel é considerado um alimento probiótico, contando com componentes que melhoram a flora bacteriana do organismo, o mel abastece o fígado durante o sono e contribui na melhoria da função orgânica, na aceleração do processo metabólico de queima de gordura.
  10. Bom para o seu desempenho físico - A ingestão regular de mel permite uma alimentação imediata e intensiva de todo o sistema muscular, especialmente os músculos do coração. Repõe energia, ajuda a melhorar o tempo de recuperação evitando a fadiga muscular depois de longos e complexos treinos.

8 - O melhor mel Português em Bisnaga da meia.dúzia®

tipos de mel

Embalados de forma original, única e requinte a meia.dúzia® selecionou 6 sabores de mel de diferentes regiões de Portugal aos quais adicionamos frutas desidratadas e especiarias, resultando em 6 experiências únicas de sabor.

1. Mel multifloral

Mel silvestre, colhido na Região das Beiras, Portugal. É obtido através de uma experiente prática de transumância, beneficiando de diferentes florações, incluindo 4 variedades de Urze, Rosmaninho, Eucalipto, Tojo, Malva-rosa, Tomilho, Alecrim e Borragem. Muito suave e delicado, é o mel cujo sabor reúne a preferência do maior número de consumidores. Com reconhecidos benefícios para a saúde, robustece o sistema imunitário, atua como antitússico, antisséptico, antioxidante e mineralizante.

Uma experiência de mel sem adição de qualquer outro ingrediente, para apreciadores do mel no seu estado puro, ideal para consumir na preparação de molhos para saladas em molhos de peixe tilápia grelhado, frango marroquino ou em sobremesas como mousse de iogurte com rosa, bolo de coco, muffins de pera, chocolate com amêndoas, cupcakes de alfazema, pannacotta de alfazema, brownies. É ainda uma excelente adição ao whisky ou limonadas.

2. Mel da Serra da Lousã com gengibre

Mel colhido nas encostas e vales da Serra da Lousã. Mel de montanha, característico de floração de urze, comum nas terras altas do maciço montanhoso central. É um mel cheio de personalidade, com sabor forte, ligeiramente acidulado e de consistência densa. Apresenta-se com tom muito escuro e ambreado. Possui aroma e sabor marcantes e ligeiramente picante resultante da mistura com o gengibre, e com ligeira adstringência, própria do néctar de urze.

O gengibre é uma planta herbácea com muitos benefícios para a saúde. Como planta medicinal, ele é uma das mais antigas e populares do mundo. É considerado um poderoso anti-inflamatório, anticoagulante, antioxidante e bactericida.

Esta combinação resulta num produto de sabor requintado, ideal para acompanhamento de pratos de carnes e para preparação de molhos agridoces, para um chá ou ainda como cobertura de iogurte

3. Mel de eucalipto com pera passa

Com origem no néctar das flores de eucalipto, é aromático, apresentando um tom castanho claro e aroma e paladar mais abertos que combina de forma delicada com outros ingredientes. Com imensos benefícios para a saúde, o mel de eucalipto é anti-inflamatório. Antisséptico, antibacteriano e estimulante.

A pera passa é proveniente das pereiras 'São Bartolomeu', fruteiras de variedade regional, produzidas em pomares novos e intensivos. As peras são submetidas a um processo específico de secagem que provoca as alterações necessárias do sabor, da cor e da textura da pera fresca em pera passa. Após a secagem solar os frutos estão em condições de serem espalmados. O resultado é uma pera passa de cor castanha avermelhada com propriedades organoléticas únicas, elástica, doce e muito saborosa.

Esta mistura resulta num produto de sabor doce e bastante energético, ideal para repor energias depois de uma ida ao ginásio ou para acompanhar bruschettas, cenouras caramelizadas, pão rustico, sandwiches, pêssegos com queijo mascarpone e mel, camarão grelhado, esparguete de lagosta ou saladas, gelados ou cocktails (com vodka. baunilha. limão. gengibre e mel).

4. Mel de Rosmaninho com maçã e canela

Da mistura aromática do mel de rosmaninho com a maçã e canela, de sabor muito reconhecido e apreciado por todos, obtém-se um mel de sabor quente e delicado, com aroma e sabor intenso a canela. Mel claro, de sabor suave e aromático, é recolhido pelas abelhas nos abundantes campos de Rosmaninho, situados nas encostas mais baixas da Serra da Malcata, uma reserva natural com 21.000 hectares.

A maçã desidratada, de origem portuguesa, é finamente cortada em fatias, e resulta de um processo de secagem que reduz para 2% o teor de humidade da fruta, em ambiente controlado, sem adição de açúcares, corantes ou conservantes, resultando num produto 100% natural. A canela, de aroma quente fragante, com propriedades antifúngicas, antibacterianas e antiparasitas, tem imensos benefícios para a saúde.

Esta combinação é ideal para crepes, e coberturas de sobremesas de queijos frescos, queijos fortes, carne de porco, sandwiches, banana frita, pera assada ou ainda bebidas como batidos e sangrias.

5. Mel de flor de laranjeira com malagueta

Este mel suave e claro, com tonalidade dourada, misturado com a malagueta desidratada traz a este mel um sabor picante, que contrasta com o sabor doce e característico do mel de flor de laranjeira.

Selecionámos o mais suave mel de Laranjeira do Algarve. Um mel mais claro e suave que o Rosmaninho e que se caracteriza pela sua acentuada acidez. É muito bom para o funcionamento do intestino, além de revigorar a pele e auxiliar no combate às insónias.

A malagueta, de cor vermelha intensa é uma especiaria de sabor pungente. O picante das sementes, devido à presença da capsaicina (princípio ativo da pimenta) são acres, provocando localmente estímulo rápido e energético.

Uma mistura ímpar, que resulta num produto único e surpreendentemente agradável, para quem gosta de uma experiência de sabor inesperada. Para degustar com espetadas de camarão com manga, molho de mel e alho para carnes grelhadas, molho de mel com mostarda, molho para chamuças, medalhões de porco com laranja e manga, frango slow cooker com laranja e sementes de sésamo, sopa de laranja e cenoura, salada de espinafres, cocktail de ananás, hambúrgueres. Experimente com queijos azuis e com queijos de cabra frescos.

6. Mel de urze da Serra da Estrela com baga de sabugueiro

O mel de urzes, proveniente da Serra da Estrela, Portugal, de aroma e sabor marcantes, é uma fonte de energia pelo seu teor de açúcar natural. Um mel adequado a pessoas que preferem produtos menos doces.

O sabugueiro é desde a antiguidade definido como o guardião da saúde. Tem um forte poder corante, conferindo a cor azulada/violeta aos produtos a que são adicionadas. A baga de sabugueiro tem ainda um nível muito elevado de atividade antioxidante e um elevado teor de polifenóis que o tornam o mais antioxidante dos méis. Previne o envelhecimento e as doenças degenerativas.

Misturado com a baga de sabugueiro, de alto poder antioxidante, torna este um produto revigorante, ideal para repor energias no final do dia, acompanhando um crepe ou para preparação de uma bebida relaxante, cobertura de gelado ou iogurte.

variedades de mel

8 - PACK6 experiências de mel - Premiado internacional com red dot design 2017/2018

Inspirados nas colmeias de abelhas, com formas hexagonal, foi criado o pack6 de experiências de mel em formato triangular que unidos foram um hexagono. Os 6 sabores de mel, de diferentes regiões de Portugal aos quais adicionamos frutas desidratadas e especiarias. Uma Experiência que vai surpreender os apreciadores de mel e de sabores sofisticados.

Design da embalagem foi vencedor na categoria design de produto alimentar e está representado no Booking of your Winner Package – Red Dot Award : Communication Design 2017- 2018

mel premiado - melhor embalagem

9 - Receitas saudáveis com mel

 

  1. Chá de jasmim meia.dúzia® com mel colhido na ‘serra da lousã’ com gengibre meia.dúzia® 
  2. Iogurte natural, granola e mel rosmaninho

receita com mel

  1. Salada vegetariana com mel de urze serra da estrela
  2. Panquecas vegan de doce mirtilos e mel da serra da estrela
  3. Paleta de cordeiro com mel e mostarda por Daniel Bork
  4. Tarteletes de granola e mel com iogurte

10 - Receitas Gourmet com mel – Alta Cozinha Portuguesa

  1. Mozzarella & tomate com mel de flor de laranjeira com malagueta

Receita gourmet com mel

Se gostou deste artigo, partilhe com os seus amigos e familiares e não se esqueça de nos seguir nas redes socias para saber todas as novidades!

Partilhar nas Redes Sociais